sexta-feira, 2 de novembro de 2007

Itália: Suprema corte absolve vendedor de maconha

Roma

A Suprema Corte italiana decidiu pela absolvição de Luciano M., 57, que vendia plantas de maconha produzidas em casa e cultivadas na banheira.

Luciano já havia sido absolvidos na primeira e sugunda instâncias.

A promotoria havia recorrido alegando que: "uma pessoa não pode cultivar licitamente plantas de cannabis com uma finalidade ornamental, enquanto a legislação considera perigosa para a saúde toda forma de difusão da droga".
Os juízes da Suprema Corte, no entanto, rejeitaram essa tese e aceitaram os argumentos de Luciano de que o cultivo destinava-se exclusivamente à ornamentação e destacaram:
"cultivo de plantas, das quais podem ser extraídas substâncias entorpecentes, que não se configure como cultivo no sentido técnico-agrário, permanece no âmbito do cultivo doméstico e não deve ser considerado crime".

Gianpaolo Silvestri senador do Partido Verde afirmou:
"É bonito saber que o Supremo ama a natureza, a beleza e as virtudes terapêuticas do mundo vegetal. Não poderíamos ter apreciado mais o sinal verde dado pela corte ao cultivo da cannabis para uso ornamental".

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe aqui sua opinião!